3 Factos que ninguém te conta sobre ter um canal no Youtube

Por Catila Gaspar - março 10, 2021

coisas-que-não-dizem-sobre-youtube

No último artigo falei-vos sobre a possibilidade de terem um canal no Youtube sem terem que "dar a cara", como dizemos na gíria, o que é uma excelente opção para pessoas mais tímidas ou que simplesmente preferem manter-se no anonimato. Mas quer tu sejas a figura principal do teu canal ou quer optes por não aparecer, ter um canal no Youtube envolve muitas coisas sobre as quais pouca gente fala. Por isso mesmo hoje decidi falar-vos sobre as 3 Factos que ninguém te conta sobre ter um canal no Youtube.

3 Factos que ninguém te conta sobre o Youtube

1- Monetização

Toda gente sabe que é possível ganhar dinheiro online através do Youtube. Uma das formas de rendimento que o Youtube oferece é a exibição de publicidade durante os vídeos. Mas para que possas tornar-te parceira do Youtube e o teu canal ficar elegível para passar anúncios precisas cumprir alguns requisitos. De momento, para seres aceite como parceira do Youtube o teu canal precisa de ter no mínimo 1000 inscritos e 4000 horas visualizadas nos últimos 12 meses. 

Como podes imaginar conseguir cumprir esses requisitos leva o seu tempo. Portanto se pensas criar um canal no Youtube como forma de rendimento, tens de ter em conta que vai demorar algum tempo até conseguires que esse rendimento seja uma realidade, pelo menos através da publicidade. Com isso eu não te quero desencorajar de criares o teu canal. Até porque há outras formas de rentabilizares o teu canal no Youtube enquanto esperas ser aceite como parceiro, como podes ler no post "Como ganhar dinheiro com o Youtube".

Outro ponto que precisas entender é como funciona o pagamento da publicidade no Youtube. Neste tópico existem duas métricas diferentes o CPM e o RPM. O CPM ou Custo por Mil, é o valor médio que os anunciantes estão a pagar por cada 1000 visualizações dos anúncios deles no teu canal. O RPM ou Revenue por Mil, é o valor que tu vais receber pelas 1000 visualizações de anúncios.  Basicamente o Youtube fica com 45% do CPM e o que o youtuber recebe o correspondente aos restantes 55% (RPM).

Ao fazer uma pesquisa pela internet descobri que de acordo com um estudo feito pela silvermouse.com em 2019, o país com o maior CPM era as Maldivas com um valor médio de $15,45 dólares. A tabela que podes ver a seguir mostra-nos o Top 20 de países com os maiores CPM's. E nesta lista Portugal aparece no 16º lugar com um CPM médio de $4,82 dólares.


Acho que já te apresentei aqui dados suficientes para te ajudar a entender que aquilo podes ganhar só com a publicidade no Youtube não faz ninguém milionário, pelo menos não num curto período de tempo. Quero com isto dizer que não vale a pena investir num canal no Youtube? Errado, vale sempre a pena!

Se tiveres uma boa estratégia de conteúdos e de divulgação, se trabalhares de forma consistente, e se acima de tudo tiveres paciência, o Youtube pode vir a ser uma boa fonte de rendimentos. Além disso, o Youtube é um excelente complemento para outros negócios digitais como o marketing de afiliados ou até para venderes os teus próprios produtos. 

2 - Tempo

Há uma frase muito usada pelas blogueiras no Brasil que é "Quem vê close, não vê corre!". Basicamente, essa frase significa que quem vê o resultado final de uma foto no Instagram, dum post num blog, ou dum vídeo no Youtube não tem noção de todo o trabalho envolvido por trás daquele resultado. E no que toca a canais de Youtube o trabalho é mesmo muito. 

Tudo começa muito antes da gravação com a pesquisa de informações, criação do roteiro, e a montagem e preparação do cenário. Depois gravar. De seguida editar o vídeo, criar thumbnail, fazer todo o SEO do vídeo e ainda divulgá-lo nas redes socias para que tenha o maior número de visualizações possível. Tudo isso é MUITO TEMPO gasto. É claro que quem corre por gosto não cansa, mas se pensas criar um canal no Youtube prepara-te para ter bastante trabalho.

3 - Conteúdo

O que eu vou dizer a seguir não é muito simpático mas é uma verdade: Ninguém quer saber de ti e dos teus gostos! Portanto se queres criar um canal no Youtube tens que saber qual é o tipo de conteúdo que as pessoas gostam/querem ver. Não é à toa que encontramos dezenas às vezes centenas de vídeos sobre os mesmos temas no Youtube, é porque são os vídeos que as pessoas procuram. 

Isso não quer dizer que tens de fazer vídeos iguais aos que já existem, até porque a diferença é que vai fazer com que te destaques dos demais, mas não fujas muito daquilo que já se provou que resulta. Algo que te pode ajudar nesse sentido é observares os vídeos que aparecem na página inicial do Youtube. Esses são os vídeos em destaque porque tiveram muitas interações, visualizações e comentários, logo o Youtube considera-os uma tendência.

No fundo o ponto é, não precisas de inventar a roda, porque ela já existe! Ou seja, não precisas ter uma ideia única para o teu canal (se tiveres e resultar, tudo bem!), basta perceberes o que resulta e fazeres semelhante, ou de preferência, melhor.

Espero que este post tenha ajudado a desmistificar algumas ideias que existem sobre ter um canal no Youtube, mas principalmente tenha ajudado a que tenhas uma expectativa mais realista quanto a ser youtuber. Agora que já levaste com este "balde" de realidade, e se ainda continuas interessada em ter o teu canal no Youtube, então não percas os próximos post com dicas importantes para teres sucesso dentro desta plataforma. Inscreve-te na nossa newsletter para garantir que não perdes pitada do que aí vem!







  • Partilhar:

Também podes gostar de ler

0 comentários